Notícias

Em busca de novos clientes, e- commerces abrem lojas físicas

Na última quinta, 12, o maior e-commerce de moda da América Latina fez sua estreia no mundo

offline. Com direito a festa e presença de celebridades como a modelo Alessandra Ambrósio e a atriz

Laura Neiva, a Dafiti abriu as portas de sua loja física, na rua Oscar Freire, em São Paulo. “A intenção

é que as pessoas conheçam nossos produtos e façam a sua primeira compra no site ou aplicativo”, diz

Malten Huffman, um dos quatro sócios fundadores da empresa. Isso porque trata-se de uma “concept

store”: em vez de passar o cartão na máquina e sair com a peça desejada em mãos, o cliente recebe

a orientação dos vendedores para fazer o pagamento online por meio de smartphones e tablets e os

produtos são entregues em casa sem cobrança de frete. “Queremos incentivar homens e mulheres a

criar este hábito quando pensar em consumir moda: acessar nosso site e encontrar o que buscam”, diz

Huffman. Fundada em janeiro de 2011, a Dafiti é um case de sucesso no varejo online brasileiro graças

a seu crescimento exponencial - hoje, conta com mais de 1700 funcionários e filiais na Argentina, no

Chile, na Colômbia e no México. Com o investimento no novo espaço conceito, a empresa segue a

tendência mundial do mercado, que aponta para a união do virtual e do real. “A loja é o coração da

conexão com o cliente. O grande desafio atual é a criação de um modelo que integre o ambiente online

ao físico, permitindo ao consumidor usufruir uma experiência de compra completa”, diz Camila Salek,

publicitária especialista em comunicação para o varejo. “Recentemente, uma pesquisa divulgada pela

National Retail Federation, a maior associação de varejistas do mundo, apontou que o cliente passa

seis vezes mais tempo na loja física do que no ambiente online.” Em julho de 2014, o e-commerce de

assinaturas de amostras de cosméticos Birchbox abriu sua primeira - e muito bem recebida - unidade

no Soho, em Nova York. Meses antes, a La Garçonne, multimarcas online descolada dedicada a jovens

estilistas, inaugurou uma loja em Tribeca, também em Nova York. Por aqui, o site WestWing, que

vende móveis e objetos de decoração, foi pioneiro ao abrir as portas de um espaço no Shopping Cidade

Jardim, em São Paulo. Até o Google colocou um pé no mundo real: na semana passada, a empresa

abriu o Google Shop, um corner dentro da loja Currys PC World, em Londres, em que colocou à venda

tablets, celulares, laptops e relógios. Em um momento de crise e economia instável essa parece ser

mesmo uma boa solução para o varejo online, sobretudo o de moda, que depende da prova das roupas

e do encantamento do cliente. A unidade física da Dafiti, porém, é temporária e deve operar apenas

até o fim de junho. Por enquanto, a empresa não planeja estender suas atividades para o comércio

tradicional nem expandir as lojas físicas para outras capitais.

 

Fonte: Estadão